«

»

mar 04

DICAS DE SEGURANÇA NAS PROPRIEDADES RURAIS

Sabemos que existe o crime porque existe facilidade. O que o ladrão, o amigo das coisas alheias quer é facilidade. Facilidade é o que ladrão quer e acha, pois somos muito, mas muito descuidados e damos sopa para o azar. É muito cômodo sair de casa e deixar a porta ou a janela aberta. É fácil deixar o carro aberto e com as chaves dentro, inclusive documentos.Às vezes uma pessoa até então tida por honesto, achando facilidade não resiste e comete um crime.Diante deste quadro temos então que criar dificuldades, pois o ladrão vai pensar duas vezes ou mesmo desistir de seu intento.
Todos nós somos vítimas em potencial, por isso, devemos nos prevenir para não precisar remediar depois. Precisamos criar dificuldades, instalando alarmes, armadilhas, colocando chaves, cadeados, segredos, truque…

Prevenção

Nas propriedades rurais é comum guardar máquinas, tratores, implementos, insumos agrícolas, veículos etc… e todos de alto valor de custo e essenciais às atividades agrícolas e diante deste pequeno, porém, forte argumento é que surge a necessidade de se prevenir.
Faça um seguro de seus bens (e leia bem as clausulas do contrato para não ficar na mão por falta de cobertura quando for vitimado; não deixem que surpresas o visitem quando mais precisar de ajuda); invista um pouco mais na proteção de seus bens. Melhore o barracão onde seus objetos de trabalho ficam guardados. Melhore a iluminação. Coloque interruptores bem à sua mão ou de seu administrador. Uma iluminação, de repente, no meio da noite, diante do barulho pode fazer muito ladrão sair correndo.
Os cães de guarda são muito importantes e necessários. Há quem prefira gansos, pois estes animais são mais difíceis de serem conquistados.
A casa da sede não deve ser distante das casas dos colonos, dos empregados, senão como eles poderão vigiar? Se a casa for longe procure dotar o lugar de um bom sistema de iluminação e, porque não, de comunicação entre patrão e empregado.
As máquinas notadamente tratores, colhedeiras, automóveis, devem ter a saída dificultada com truques, correntes, alarmes, travas…
Quanto aos empregados, você precisa saber quem são eles, de onde vem, se tem passagens pela polícia, se têm referências ( aqui é importante saber quem as deu e consultar .
É necessário saber o nome do empregado. Não serve seu apelido. Quem fornece apenas o apelido quer esconder seu nome, porque? Procure saber quem trabalha para você, seus parentes, seus amigos. Cuidado com pessoas que querem aplicar golpes e que passam por amigos de seus amigos, geralmente se aparentam humildes.
Às vezes acusam o patrão de se mal pagador e precisam vender algum bem da fazenda para pagar a farmácia, pagar outro empregado. Antes de ficar com dó e ajudar , consulte o patrão daquele empregado, evitando dificuldades e perder um amigo.
Procure fazer um cadastro de seus empregados , contendo foto recente, o nº da identidade, nome do pai, mãe, local de nascimento, carteira de trabalho, título de eleitor, se votou na última eleição ( por que não o fez, será que estava preso, ou fugindo da polícia?). Procure colocar outros endereços, por ex. parentes de outras cidades.

Ajude seu empregado a obter os documentos.

Isso as vezes dá trabalho, concordo, mas lembre-se é seu patrimônio que está em jogo e merece seu esforço. Lembre-se quem não quer ser identificado é porque esconde alguma coisa.

Faça uma relação completa de seus bens. Número, tipo, modelo, cor, sinais característicos. Guarde cópias de documentos de veículos e decalques de chassi, motor, onde somente você saiba.

Seus animais devem ser marcados com sua marca. Carimbe sua marca em uma folha de papel, pois poderá dela para mostrar `a Polícia, ou a outras pessoas, dando buscas em animal furtado/roubado. Se você tem um nome comum, faça uma marca diferenciada.

Vigie sua propriedade contra estranhos. Muitas pessoas chegam ao seu local de trabalho, em sua casa e é importante que você saiba quem são, de onde vem, o que querem ali. Peça documentos. O ladrão as vezes deixa de cometer um crime, pois sabe que seu nome já é conhecido. Anote seu nome, número do documento, isso o inibe e o assusta.

Peça aos empregados que fiquem de olho em pessoas estranhas. Cuidado com as pessoas que às vezes vem fazer pequenos consertos e trazem amigos. Para que? Não deixem que eles vejam sua casa por dentro, o que tem, por onde entra, onde sai, onde fica o telefone, o cofre. Todo cuidado é pouco. Guarde chave dos aposentos em local que só você saiba e sua família, facilitando caso fique preso em algum cômodo.

Cuidado com ciganos e andarilhos, videntes etc. muitos passam levam nossos bens e nunca mais são encontrados.

Mantenha bom relacionamento com seus vizinhos. Forme uma rede informal de comunicação. Avisem-se uns aos outros sobre qualquer coisa suspeita e que venha quebrar a rotina diária.

Verifique e faça um levantamento completo, com seus vizinhos, sobre locais nas suas propriedades que possam servir de esconderijos de ladrões, onde possam ser escondidos animais e máquinas furtadas. Percorra com seus vizinhos sua mata, nunca vá sozinho. Se descobrir gente estranha escondida ou acompanhada, nas suas terras chame a polícia. Tenha sempre o telefone da Polícia Ambiental, Militar, Civil em mãos.

Cuidado se na sua fazenda possui pista de avião. Procure controla-la e não deixe abandonada, pois poderá servir para o crime de contrabando e tráfico de drogas.

Propriedade cortada por rodovia ou às suas margens deve redobrar os cuidados. Cuidado com os carros quebrados, pois pode um fingir consertar e outro reconhece o terreno. Procure ficar atento a barulho de motor de carro à noite. Nunca vá sozinho verificar.

Acostume-se a correr a cerca, verificando se não há corte de arame. Procure não deixar animais próximo da cerca à noite.

Chegando na propriedade

Se chegar à noite, evite estar sozinho e muito cuidado ao abrir a porteira. Cautela muita gente é assaltada ao descer do carro. Procure deixar alguém de guarda, evite deixar sua casa e a propriedade sozinha.

COMO AGIR DIANTE DO CRIME

Cuidado ao enfrentar bandidos armados, pois poderá perder o seu bem mais precioso: sua vida.

Não seja valente, poderá sofrer um tiro ou golpes fatais.

Tente não ficar mais nervoso que o ladrão, mas discretamente, procure observa-lo, com detalhes, modo de falar, se é canhoto, se tem problemas visuais, tatuagens, gírias, sotaques, cicatrizes. Não acredite em certas ameaças, após o fato, chame a polícia, o mais breve possível, poderá haver tempo de prende-lo e recuperar seus bens.

O local do crime deve ser observado por peritos, portanto não mexa nas coisas que diz respeito a cena do crime. Não misture as marcas de passos ou dos veículos. Em síntese, mantenha o local preservado. Não coloque a mão sobre superfície lisa, poderá haver digitais.

O que você pode fazer com cautela, é, mesmo antes da polícia chegar, graças a sua política de boa vizinhança é ir investigando, tomando notas, detalhes, pois deve colaborar com a polícia e mais: você está investigando o crime de que fora vítima, enquanto a polícia investiga outros crimes, além do seu.

Lembre-se a Constituição Federal diz ser a segurança, dever e responsabilidade de todos.

Ajude a Polícia a ajudar você.

Os trabalhadores rurais

Conhecido também como “bóias frias” formam uma grande categoria. Certo que, muito deles estão ficando sem mercado de trabalho com a conseqüente mecanização das lavouras onde máquinas substituem homens e acabam gerando desconforto e desemprego.

O trabalhador rural é responsável pela colheita em regiões eminentemente agrícolas como a nossa, aqui, no interior do Estado e é bom que não se pode torcer o nariz para a atividade agropecuária, pois é dela que vem o nosso pão, arroz, leite das crianças.

Cuidado com o transporte dos trabalhadores rurais.

O transporte de trabalhadores urbanos e rurais deverá ser feito por ônibus, atendidas as normas de segurança estabelecidas em lei.

Destaque para a Constituição do Estado de São Paulo, art. 190, promulgada em 05.10.89, bem como o Código de Trânsito Brasileiro, Lei 9503/97, em seus artigos 108, 235, bem como a Resolução Contran nº 82, de 19 de novembro de 1998, publicada no Diário Oficial da União, de 20 de novembro de 1998.

Lembramos que o veículo não pode ser do tipo basculante ou boiadeiro.

Lembramos que os empregados que dirigem trator, devem ser habilitados na categoria, C, D ou E, dependendo do veículo, conforme resolução 67/98 do Contran.

Caso você entregue veículo automotor a pessoa inabilitada, poderá responder por crime previsto no Código de Trânsito Brasileiro, com pena prevista de 6 meses a um ano de detenção, ou multa – art. 310 do CTB.

Enfim, qualquer dúvida procure uma Unidade da Polícia Civil – Delegacia de Polícia e converse com a autoridade policial. Tire suas dúvidas.

Fonte: Artigo extraído (parcialmente) da revista ADPESP – Ano 20, nº 28, dezembro de 1999, pgs 101 a 108 – Autor: Dr. Feres Cury Karam, delegado de polícia.